15 março, 2011

PROTEJENDO AS ARTICULAÇÕES ...


Glucosamina

Ela é encontrada principalmente na cartilagem articular. O corpo incorpora glucosamina suplementar em moléculas chamadas de proteoglicanos que são parte da cartilagem articular e trabalha para manter a integridade da articulação e reparar a cartilagem danificada. A pesquisa mostra que a glucosamina estimula a geração de nova cartilagem ativando as células produtoras de cartilagem conhecida como condrócitos. Como resultado, e como numerosos estudos confirmam, a glucosamina pode ajudar a aliviar os sintomas e sinais do desgaste e do dano comum que pode ocorrer com treinamento pesado. De fato, um estudo mostrou que a glucosamina foi tão eficaz como o ibuprofeno, para aliviar os sintomas da osteoartrite no joelho.


Curcumina

A curcumina é o ingrediente ativo do açafrão, que é uma especiaria usada em muitos pratos . Pesquisas confirmam que a curcumina alivia a dor e inflamação em pacientes que sofrem de artrite reumatóide . A pesquisa também mostra que é realmente superior a algumas drogas não esteróides anti-inflamatórios para aliviar a inflamação após uma cirurgia. Um estudo da Universidade do Arizona (Tucson) relatara que ratos que receberam extratos de cúrcuma após injeção de solução de indução da artrite, tiveram uma redução de 70% na destruição da cartilagem comparado aos ratos que receberam um placebo. A capacidade da Curcumina para proteger as articulações decorre de seus ingredientes ativos, curcuminóides, que pode inibir uma proteína que instiga etapas químicas no corpo que resultam em inflamação.

Doses recomendadas

Tome 1.500-2.000 miligramas de glucosamina por dia, divididas em duas ou três doses. Para a curcumina, tomar 200-500 mg de curcumina, duas ou três vezes por dia.

Referências:

R. Braham et al., “The effect of glucosamine supplementation on people experiencing regular knee pain,” British Journal of Sports Medicine, 37:45-49, 2003;
J. Funk et al., “Efficacy and mechanism of action of turmeric supplements in the treatment of experimental arthritis,” Arthritis & Rheumatism, 54(11):3452-64,2006.


Texto: Sergio Sheman

Nenhum comentário:

Postar um comentário