29 julho, 2010

QUESTIONANDO DOGMAS, DERRUBANDO MITOS, 2° parte ...


É sabido que o alongamento é muito importante para manter a funcionalidade e pode até auxiliar no ganho de massa muscular. Esta claro que deve-se trabalhar para manter a amplitude funcional das articulações, ou aumentá-la em casos específicos; no entanto, a questão da utilização do alongamento imediatamente antes dos treinos de musculação ainda permanece uma incógnita recheada de mitos.
Alguns profissionais, a meu ver, ainda presos a antigos dogmas, apóiam a idéia de que os alongamentos antes dos treinos seriam importantes no processo de aquecimento e como meio de se evitar lesões, alguns até acreditam que tal procedimento possa promover uma melhora na performance.

- Utilizando o alongamento como aquecimento :
Alongamento pode ser definido como uma manobra onde se afasta origem e inserção de um músculo ou grupo muscular visando alongar as fibras, aumentando a amplitude do movimento das articulações, por outro lado define-se aquecimento como um processo onde se busca um aumento da temperatura, da freqüência cardíaca e do fluxo sanguíneo no músculo, melhorando o transporte de oxigênio bem como a remoção do dióxido de carbono e lactato Além domais, o aquecimento incrementa a ativação neuromuscular do SNC (sistema nervoso central), melhorando a coordenação, tempo de reação e qualidade de execução do movimento, aumentando a capacidade de contração muscular e melhorando a eficiência contrátil, através da melhora nas propriedades viscoelásticas do músculo. Ou seja, para que o alongamento pudesse ser utilizado como uma manobra de aquecimento, esse deveria provocar as mesmas alterações fisiológicas pertinentes ao aquecimento, e isso, sabidamente, não ocorre. De acordo com as definições apresentadas acima, conclui-se que alongamento e aquecimento, são procedimentos absolutamente distintos, e jamais devem ser empregados com um mesmo objetivo. Parece não haver nenhum estudo na literatura que mostre, por exemplo, que o alongamento estático e de curta duração, como geralmente é aplicado antes das seções de treino de musculação, aumente a temperatura do músculo ou que acarrete um aumento da ativação neuromuscular do SNC; ou seja, analisando através de uma visão bem simplista; “ o alongamento, simplesmente, não aquece o músculo “, pelo menos não, aplicado da forma que normalmente é !

- Utilizando o alongamento como meio de se evitar lesões :
A idéia principal que leva alguns a crerem que o alongamento antes da atividade física seria um meio de se evitar lesões é que, supostamente, um músculo mais flexível teria menos chances de se lesionar ! No entanto, encontra-se muito pouco embasamento na literatura que apóie esse conceito. Será que um aumento da flexibilidade, realmente, melhore a capacidade do músculo de absorver energia ?
Devemos, entes de mais nada, ressaltar que a maioria das lesões ocorrem durante contrações excêntricas (fase negativa) realizadas dentro de uma amplitude articular normal. Como já é sabido, na musculação os movimentos são executados dentro de uma amplitude articular normal, em ângulos, eixos e velocidades totalmente diferentes dos trabalhados nos alongamentos estáticos. Então, porque “preparar” os músculos para amplitudes maiores, com alongamentos estáticos prévios, se tais ângulos não serão utilizados nos movimentos ?! Se as lesões ocorrem dentro de uma amplitude normal, como uma amplitude aumentada evitaria as mesmas?! Não há nenhum estudo que comprove a eficácia do alongamento estático prévio como meio de se evitar lesões, onde o mesmo tenha sido utilizado como única manobra, uma vez que os poucos trabalhos apresentados utilizaram-se de uma, duas ou mais intervenções (como por exemplo o aquecimento), alem do alongamento .
Como já foi dito anteriormente existem poucos trabalhos que sugerem a eficácia dos referidos alongamentos antes da atividade como meio de se evitar o risco relativo de lesões e mesmo estes, quando expostos em valores absolutos, apresentam resultados do tipo: “um individuo deveria se alongar por 23 (vinte e três) anos para evitar uma única lesão !”
É muito comum ouvirmos alguns profissionais atribuindo a causa de alguma lesão à falta de alongamento antes da atividade, porem, se não existe nenhuma evidencia conclusiva na literatura, de onde é que veio a idéia de que o individuo teria se lesionado por falta de alongamento ?! Isso acaba por desviar a atenção dos profissionais de outros fatores relevantes, como por exemplo, um aquecimento mau executado, fadiga muscular ou até mesmo um protocolo de treinamento inadequado, que, ai sim, poderiam levar, realmente, o individuo a se lesionar.

- Utilizando o alongamento para melhora da performance :
Ao contrario do que se preconiza, inúmeros estudos demonstraram uma diminuição na performance muscular após o alongamento estático, pois o mesmo interfere de forma negativa sobre as propriedades mecânicas nas fibras musculares e sobre o input neural, ocasionando uma diminuição na produção de força pelo músculo quando o esforço é realizado imediatamente após o alongamento. Para tanto, não seria uma medida muito inteligente a utilização do alongamento antes de provas que requeiram força e potência muscular. Ou seja, o alongamento estático antes da musculação pode trazer prejuízos para a performance, pois atuaria negativamente na rigidez musculotendínea e no reflexo neuromuscular .

Acho que as evidencias falam por si ! Eu até me arrisco a dizer que, baseado nas evidencias apresentadas, em um treino de musculação de alta intensidade sem um aquecimento adequado, utilizando-se apenas de um alongamento prévio, alem de uma queda na performance, imagino que as chances de se lesionar seriam ainda maiores.


Texto: Sergio Sheman

Nenhum comentário:

Postar um comentário